Almas Berrantes

 

Almas Berrantes é a terceira experiência cênica de um programa de trabalho liderado pelo Teatro de Anônimo, provisoriamente chamado de MONTAGEM-INCUBADORA de gêneros teatrais populares.
Despretensiosamente, a montagem é uma experiência que vai um pouco além do "espetáculo musical tradicional". É uma maturação artística inspirada nos lendários "Chopes Berrantes" que, no início do século XX, espalhavam-se pelo centro do Rio de Janeiro: barulhentas casas noturnas que ofereciam diversão e cenas de variedades acompanhadas de bebida e comida.

A rua e o salão de dança formavam um ambiente único, diferenciados apenas pelo contraste entre a luz externa da lua seresteira e a iluminação embaçada dos lampiões de cabaré. A riqueza comunitária desses ambientes era a proximidade entre público e artistas, palco e platéia, instaurando uma espécie de “comunicabilidade safada e interativa”.

Em Almas Berrantes, esta comunicabilidade erotizada é orquestrada por uma legião de tipos representativos do imaginário de todas as cidades de todos os tempos e culturas: malandros, vedetes, vigaristas, prostitutas, cornos, sambistas, domadores de macacas, trapezistas, dançarinas de inferninhos, desocupados, intelectuais em formação, amantes inveterados, notívagos, emboladores, capoeiristas, românticos, lavadeiras, pregões e eguns.

A diversão é a meta; mas o estimulante é perceber que a experiência dos "Chopes Berrantes" ainda é um viés que pode render muito caldo cultural. Não há uma fórmula, um esquema definitivo ou um produto acabado. Ao construirmos a experiência de Almas Berrantes estamos reinventando um modo de criação coletivo-colaborativa que aglutina técnica, ética, estética,casa de diversão, gastronomia e arte... Não é apenas um espetáculo; é um negócio. Ou seja, um espetáculo-negócio!

Ficha Técnica

Direção: Sidnei Cruz
Assistentes de Direção: Maria Angélica Gomes e Regina Oliveira.
Elenco: João Carlos Alves Artigos, Maria Angélica Gomes, Regina Oliveira e Shirley Britto.
Ator convidado: Fábio Freitas
Atores contra-regras: Angelo Petersen e Josemar Ciríaco.
Dramaturgia: Sidnei Cruz, Shirley Britto e Teatro de Anônimo.
Direção Musical: Kiko Horta
Músicos: Cristiane Cotrim, Pedro Mazzillo, Pedro Pamplona, Ricardo Cotrim.
Programação Visual/ Cenografia e Adereços: As Duas
Desenho de Luz: Aurélio di Simoni
Figurinista: Biza Vianna
Assistente de Figurino: Cleide Barcelos
Direção de Movimento: Édio Nunes
Assistente de coreografia: Ângelo Petersen
Preparação Vocal: Ângela Hertz / Maira Martins
Técnicos: Carlos Alberto Artigos e Maurício Peixoto
Administração: Flávia Berton
Gerência da cozinha: Júlio Adrião 
Operador de Som: Sérgio Miller
Operadora de Luz: Juju Moreira
Assessoria de Imprensa: Gaia Comunicação
Secretária: Carla Sammartino
Arquitetura Cênica: Robson Jorge Gonçalves
Produção Executiva: Andréia Carvana
Direção de Produção: João Carlos Artigos e Ruth Almeida.

Clipping

 

Capital Cultural - Julho de 2004

  
 

fotos

Últimas no Blog

A segunda-feira vai chegar, independentemente do resultado. E continuaremos...

Leia mais

Toda quarta às15h30, acontecem as aulas de acroyoga com o professor Jaime Esteban...

Leia mais
Seguindo o chamado da natureza...
O...
Leia mais